The Café Campana. foto: adriana felippe, out/2014


foto: adriana felippe, out/2014

"Eu não quero seguidores. Eu quero que as pessoas pensem por sua própria cabeça, tomem suas próprias decisões e respondam por elas." (Guy Debord)

GERMINAÇÕES: expansões poéticas

CONTOS QUE AS FADAS NÃO CONTAM

quarta-feira, 12 de abril de 2017

CAIO NO ABISMO

Digo sim à vida, tal como é, exatamente assim. 
 Trágico é a condição humana por excelência.
Como Raskólnikov de Dostoiévski que atinge
sua salvação ao desnudar-se em praça pública
e o herói trágico de Nietzsche, 
também eu, estoica que sou
lanço-me
de maneira determinante,
 porém livre, para realizar
minha força interior.
Caindo no abismo dançando; 
sem choramingos ou alardes. Alegre.



Não preciso ser consertada, sou o herói da - minha - históriaArgila queimada, 2012. Estudo: movimento figura humana

Nenhum comentário: